Vencedor do prémio Jean-Claude Brialy (longas-metragens francesas) na edição de 2017 do Festival Premiers Plans d’Angers, “Paris a Branca” marca a estreia de Lidia Terki na realização de longas-metragens de ficção.

O enredo centra-se em Rekia (Tassadit Mandi), uma senhora de setenta anos de idade. Sem notícias de seu marido, Rekia deixa pela primeira vez a Argélia para trazer Nour de volta para a aldeia. Mas o homem que ela finalmente descobre transformou-se em um estranho.

“Paris a Branca” integra a Mostra Latim da nona edição do FESTin. O filme vai ser exibido a 5 de Março, às 21h30, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge.

Partilhar é cuidar!