“Açúcar” coloca em diálogo o passado e o presente de uma propriedade e de uma mulher. Esse diálogo permite que o filme se envolva pela História do Brasil, seja pelas questões raciais, o esclavagismo, o racismo, as assimetrias sociais e as transformações que ocorreram ao longo do tempo, enquanto conversa com os dias de hoje e estimula reflexão. A mulher mencionada é Bethania, uma personagem que se encontra presa às suas memórias, aos seus preconceitos, às suas contradições e aos seus segredos, algo transmitido com precisão por Maeve Jinkings.

Bethania retorna às suas terras onde uma vez funcionou um antigo engenho de açúcar da sua família, o Engenho Wanderley. Entre lembranças, criaturas fantásticas, contas a pagar e trabalhadores reivindicando os seus direitos, Bethania enfrenta-se a si mesma num presente onde passado e futuro são ambos ameaçadores.

Realizado por Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira, “Açúcar” integra a competição de longas-metragens do FESTin. O filme é exibido a 2 de Março, às 21h30, na Sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge. A sessão conta com a presença dos realizadores.

Partilhar é cuidar!