Aos 80 anos, Polidoro resolve demolir a estabilidade de sua confortável vida de juiz aposentado e virar sócio de uma boate de strip-tease. Beatriz, sua filha, resolve o interditar judicialmente. Seu filho Paulo se declara incapaz de opinar pois não mantém relações com o pai. O juiz determina o encontro forçado de pai e filho e a reaproximação transformará suas vidas. É esta a sinopse de “Antes que eu me esqueça”, um filme que consegue balancear as suas facetas cómicas e dramáticas ao mesmo tempo que permite a José de Abreu compor um personagem digno do seu enorme talento.

Realizado por Tiago Arakilian, “Antes que eu me esqueça” integra a Mostra de Cinema Brasileiro do FESTin. O filme conta com interpretações de grande nível de José de Abreu e Danton Mello, uma dupla que vai estar presente na sessão que vai ter início às 21h30, na Sala 3 do Cinema São Jorge. Também o realizador Tiago Arakilian é presença confirmada. 

Outro dos destaques do terceiro dia do FESTin é “Serviçais das memórias à identidade”, um documentário realizado por Nilton Medeiros.  O filme é descrito pelo seu realizador como: “um tributo às pessoas que lutaram por um país e hoje estão abandonadas e entregues à sua sorte“. 

É uma das obras do FESTin que entronca com o passado colonial de Portugal, com a sua sinopse a colocar essa situação em evidência: Depois do achamento, São Tomé e Príncipe envolveu-se no tráfico de escravos. A abolição da escravatura obrigou os colonos portugueses à contratação de mão-de-obra de Angola, Moçambique e Cabo Verde, que abriria caminho para o trabalho forçado – desempenhado pelos  serviçais. Passados mais de meio século do fim do processo de descolonização (1975), muitos ex-serviçais e seus descendentes ainda vivem à margem da sociedade.

“Serviçais das memórias à identidade” é exibido às 20h00, na Sala 3 do Cinema São Jorge. O filme integra a competição de documentários da nona edição do FESTin.

Partilhar é cuidar!