O título de “Como Nossos Pais” remete para a canção homónima composta por Belchior e imortalizada pela poderosa voz de Elis Regina. A música em questão nunca entra em cena pela voz da cantora, mas a sua letra ecoa e de que maneira no interior dos dilemas vividos pela personagem principal e daqueles que a rodeiam. Essa protagonista é Rosa, interpretada com sensibilidade, emoção, carisma, intensidade e autenticidade por Maria Ribeiro, com as suas falas a soarem sinceras ao ouvido do espectador, tal como as suas dúvidas e inquietações, sejam estas relacionadas com o seu papel de mãe, filha, esposa, amante, irmã e mulher.

Rosa é uma das grandes personagens da carreira de Maria Ribeiro. Os elogios foram imensos e merecidos, tal como o Kikito de Melhor Actriz na 45ª edição do Festival de Cinema de Gramado. Diga-se que este foi um dos cinco Kikitos recebidos por esta refinada obra cinematográfica que teve a sua estreia mundial na edição de 2017 da Berlinale e confirma o enorme talento de Laís Bodanzky como realizadora. Esta embrenha-se por assuntos relacionados com a mulher na sociedade contemporânea, os conflitos geracionais, a solidão, as crises conjugais e profissionais, o adultério, a paternidade, a maternidade, a sexualidade e a falta de diálogo, sempre a partir da perspectiva de Rosa.

É exactamente esta recomendável obra de Laís Bodanzky que abre a nona edição do FESTin, pronta a conquistar o público e a dar o mote para uma programação de grande qualidade na qual a língua portuguesa surge em destaque. Em realce aparecem também os diversos elementos do elenco desta obra cinematográfica, tais como Paulo Vilhena, Clarisse Abujamra, Cazé, Jorge Mautner, entre outros que dão vida ao magnífico argumento de Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi. O filme conta com distribuição assegurada em Portugal, indo estrear a 15 de Março de 2018, pela Alambique.

 

Partilhar é cuidar!