Presente desde 2013, esta mostra destaca o melhor da produção de documentários em língua portuguesa. Este ano, além dos  6 filmes em competição,  a Maratona de Documentários exibe um documentário sobre a produção musical angolana.


MDOC_2-metros-quadrados2 METROS QUADRADOS

13 Abril, 18h15 | sala 3

Portugal, 2014, 51 minutos
Realização: Ana Luísa Oliveira e Rui Oliveira
Daniel é jornalista e trabalhou em vários meios de comunicação, teve uma empresa, mas acabou a dormir em dois metros quadrados. É ele que vai nos mostrar como funciona o sistema que considera ser um verdadeiro “negócio da pobreza” e como as associações são, às vezes, ineficazes. Um filme sobre os “novos sem-abrigo”, dos que vivem em casas abandonadas, dos que vivem debaixo de teto mas não têm o que comer.


MDOC_A-nacao-Que-Nao-Esperou-Por-Deus_5-(2)A NAÇÃO QUE NÃO ESPEROU POR DEUS

13 Abril, 19h30 | sala 3

Portugal/ Brasil, 2014, 89 minutos
Realização: Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen
Com: Ademir Matchua, Adeilson Silva, Alvanir Matchua, Aracy Matchua, Daniel Matchua, entre outros.
Em 1999, Lucia Murat filmou Brava Gente Brasileira, um filme de época que contou com a participação dos índios Kadiwéu, que vivem no Mato Grosso do Sul. A Nação Que Não Esperou Por Deus é um documentário sobre essa tribo. Nesses 15 anos, a luz elétrica chegou à aldeia e, com ela, a televisão, as novelas e todo o mundo do entretenimento. Cinco diferentes igrejas evangélicas se estabeleceram na reserva, todas lideradas por pastores índios. Ao mesmo tempo, os Kadiwéu voltaram a lutar pela demarcação de suas terras, retomando áreas em mãos de pecuaristas. O documentário procura mostrar esses diferentes caminhos.


MDOC_A-Vizinhança-do-Tigre-03-(1)A VIZINHANÇA DO TIGRE

11 Abril, 17h | sala 3

Brasil, 2014, 95 minutos
Realização: Affonso Uchoa
Com: Aristides de Sousa, Maurício Chagas, Wender Patrício, Eldon Rodrigues, Adílson Cordeiro.
Juninho, Menor, Neguinho, Adilson e Eldo são jovens moradores do bairro Nacional, periferia de Contagem. Divididos entre o trabalho e a diversão, o crime e a esperança, cada um deles terá de encontrar modos de superar as dificuldades e domar o tigre que carregam dentro das veias.


MDOC_agua-para-tabato-(2)ÁGUA PARA TABATÔ

13 Abril | 23h | sala 3

Guiné-Bissau/Portugal, 2014, 46 minutos
Realização: Paulo Carneiro
Em 2011, o realizador Paulo Carneiro participou nas filmagens na Guiné-Bissau de Batalha de Tabatô, obra de João Viana que posteriormente correria mundo e seria selecionado para o Festival de Berlim. A equipa desloca-se num barco para a ilha de Bolama, mas a viagem não corre bem: num dado momento, o barco pára e reina a confusão. O realizador não consegue deixar de filmar o que se passa a seguir… Este é o primeiro média-metragem do cineasta lisboeta, que estreou com a curta-metragem Oh Johny e, para além de Viana, trabalhou com nomes como Joaquim Pinto e Albert Serra. Água para Tabatô venceu o prémio principal do festival de Martil no Marrocos e foi selecionado para o Jihlava na República Checa.


MDOC_entre-cenas-2-(1)(ENTRE) CENAS

11 Abril, 19h | sala 3

Portugal, 2014, 83 minutos
Realização: Rui Simões
Documentário sobre a rodagem de Os Maias – (Alguns) Episódios da Vida Romântica, adaptação cinematográfica do romance homônimo de Eça de Queirós, pelo realizador João Botelho.


MDOC_Esse-viver-ninguem-me-tira-(2)ESSE VIVER NINGUÉM ME TIRA 

12 Abril, 17h, Sala Manoel de Oliveira 

Brasil, 2013, 75 minutos
Realização: Caco Ciocler
“Aracy era uma mulher linda!” É a partir dessa frase que o realizador inicia sua busca por Aracy de Carvalho Guimarães Rosa. Heroína anônima, morreu esquecendo e sendo esquecida, vítima do alzheimer e de um país também sem memória. Única brasileira considerada uma justa entre nações, viveu à sombra do marido famoso, o escritor João Guimarães Rosa. Sua atuação subversiva no consulado brasileiro em Hamburgo na Alemanha Nazista salvou vidas. Com pouquíssima documentação disponível e impedido de falar sobre sua relação com o marido por questão de direitos autorais, o diretor joga luz à essa existência através de suas próprias motivações pessoais.


MDOC_Kora-Photo-Filme-02-(2)KORA 

15 Abril, 19h, Instituto Cervantes

Portugal/ Guiné-Bissau, 2014, 70 minutos | (Fora de competição)
Realização: Jorge Correia Carvalho
Com: Aladi Galissa, Mamadu Galissa, Aladje Mutaro, Fili Djibate, Omaro Djibate, entre outros.
Motivo de orgulho de nações que nasceram de tribos sem fronteiras, existem discrepâncias sobre a origem desse importante instrumento musical da África Ocidental, o Kora, mas é na Guiné-Bissau que muitas das lendas sobre a sua invenção se cruzam. Uma viagem no espaço e no tempo, por toda uma população que ainda reclama o kora como único e seu, transportando-nos além tempo numa atmosfera única entre o real e a ficção.


MDOC_Quitupo-HoyeQUITUPO, HOYÉ!

09 Abril, 17h | sala 3

Moçambique, 2014, 63 minutos
Realização: Chico Carneiro e Rogério Manjate
Foi descoberta uma enorme reserva de gás natural na bacia do Rio Rovuma, ao norte de Moçambique. Esse gás será transformado e armazenado numa fábrica a ser construída na Península de Afungi, Distrito de Palma, habitado por 12 aldeias. Este documentário retrata como essas comunidades questionam a forma como serão reassentadas.


MDOC_Sem-pena-cartazSEM PENA

13 Abril, 16h15 | sala 3

Brasil, 2014, 87 minutos
Realização: Eugenio Puppo
Nenhuma população carceraria cresce na velocidade da brasileira, que já é a maior do mundo. Sem Pena desce ao inferno das prisões brasileiras, para expor as entranhas do sistema de justiça do país, demonstrando como morosidade, preconceito e a cultura do medo só fazem ampliar a violência e o abismo social existente.

 


MDOC_setenta-(1)SETENTA

09 Abril, 18h30, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2014, 90 minutos, Documentário
Realização: Emília Silveira
Em 1970, setenta presos políticos são trocados pelo Embaixador da Suiça e mandados para o Chile. Este documentário reencontra dezoito personagens desta história, quarenta anos depois. Eles trazem o relato de quem conheceu a dor e a violência, sobreviveu, construiu sua própria história e continua a acreditar que é possível melhorar o mundo.


MDOC_Yetu_Foto_Goncalo-VillaverYETU – A NOSSA MÚSICA

11 Abril, 23h | sala 3

Portugal/ Angola, 2014, 120 minutos | (fora de competição)
Realização
: Ulika Franco
Documentário sobre a música de Angola. Parte do projeto Documentar a Música de Angola, iniciado em Junho de 2013 sob encomenda do Banco de Desenvolvimento de Angola. Este trabalho teve como objetivo dignificar a criação musical de Angola, procurando as raízes da música urbana e indo de encontro às ancestrais raízes da música de Angola.