A Mostra de Inclusão Social, uma das mais antigas do FESTin, apresenta este ano a longa-metragem cearense A Lenda do Gato Preto, inédita no Brasil e na Europa, que recentemente recebeu o Troféu Ouro de Direitos Humanos pelo World Human Rights Awards (WHRA), um dos eventos mais importantes do mundo em difusão e promoção dos direitos humanos. A sessão será aberta pela curta-metragem Pés Sem Chão.

Terça-feira, 10 de maio, 20h30, Sala 3. Duração Total: 112 minutos

Ticketline_100

 

PÉ SEM CHÃO

Pé Sem ChãoBrasil, 2014, 14 minutos, ficção

Realizador: SÉRGIO RICARDO

Com: Marília Coelho, Nino Batista, Márcio Januário e Sérgio Ricardo

Trailer

Sinopse: O filme retrata a história de uma lavadeira negra – moradora de uma favela no Rio de Janeiro – e do seu dependente, que se vêem obrigados a abandonar o barraco onde vivem, num episódio que ilustra o drama dos moradores favelados, desapropriados por conta da exploração imobiliária.

BIOGRAFIA DO REALIZADOR: Ícone na sua época e uma das grandes referências na cultura brasileira, Sérgio Ricardo é considerado um dos precursores de Bossa Nova e do Cinema Novo. Da sua relação com o cinema e da intensa parceria com Glauber Rocha, nasceu a premiada banda sonora de Deus e o Diabo na Terra do Sol e de Terra em Transe. Sérgio também realizou as longas-metragens A Noite do Espantalho, Esse Mundo é Meu e Juliana do Amor Perdido e oito curtas premiadas fora e dentro do Brasil.


A LENDA DO GATO PRETO

A lenda do gato pretoBrasil, 2015, 98 minutos, ficção (legendas em inglês)

Realizador: CLÉBIO VIRIATO RIBEIRO

Com: Emiliano Queiroz, Elke Maravilha, Aurora Duarte, Cassia Roberta e Alexandre Mandarino

Trailer

Sinopse: Sertão do Nordeste brasileiro, tempos atrás. Um grupo de ciganos acampa nos arredores de Quixadá, seguindo a previsão de que um novo tempo se anuncia. Ali passam semanas mudando a paisagem, interferindo no quotidiano do pequeno lugarejo. Aos poucos se integram na vida da cidade e, usando a habilidade para o comércio, fazem da feira o seu ponto de negócios. Um pequeno grupo de ciganos envolve-se numa grande confusão após a esposa de um comerciante local atropelar um Gato Preto, animal de estimação de uma Cigana. Conflito que finda por expulsar a todos os ciganos da cidade. Anos depois, Mariana, sente-se tomada por uma força que a faz correr pelas ruas de Quixadá e subir pela parte mais íngreme da Pedra do Cruzeiro. A Cigana do gato morto retorna a Quixadá, agora dona do famoso Circo Estrela do Oriente. O seu filho e Mariana têm um romance proibido que mudará o rumo da história.

Prémios: Troféu Ouro de Direitos Humanos/ Human Rights Gold Award, na Indonésia (2015)

Biografia do realizador:Realizador, produtor e diretor. Pós-Graduado em Audiovisual em Meios Electrónicos pela Universidade Federal do Ceará. Fundador da Associação de Cinema e Vídeo de Quixadá e do Cine Clube Mestre Adolfo, o primeiro do sertão cearense e do Cine Clube Avenida. Idealizou o Quixadá Mostra Cinema e coordena a Produção do Festival de Jericoacoara – Cinema Digital. É realizador dos filmes O Auto da Camisinha e Ô Casamento e Magé, produtor executivo de Mãe de Santo, teu nome é Zimá e produtor em O Quinze, Corisco e Dadá, Campo Branco, entre outros.