Francofonia/Lusofonia no cinema

3 de abril (quinta-feira) | 18h00 | Sala 2

Esta mesa redonda irá discutir o papel do cinema francês na cinematografia lusófona, seja pela sua influência, seja através das coproduções entre a França com os países de língua portuguesa. Irão participar da mesa o realizador franco-português Christophe Fonseca, que fez o making off do filme Gaiola Dourada, a atriz Rita Blanco, a diretora da Cinémathèque Afrique, do Instituto Francês, Véronique Joo Aisenberg, o realizador moçambicano Sol de Carvalho, o produtor do Filmes do Tejo, François d’Artemare, com a mediação do jornalista e crítico de cinema José Vieira Mendes.

Democracia e Ditadura

4 de abril (sexta-feira) | 18h00 | Sala 2

Nos 40 anos do 25 de Abril, o FESTin promove a reflexão e debate entre dois momentos marcantes na história de Portugal e do Brasil. Enquanto em Portugal se celebrava a instauração da Democracia, no Brasil a Ditadura militar atingia 10 anos de governação, que se estenderia por mais 21 anos. Participam do debate o cineasta brasileiro Silvio Da-Rin, o jornalista, promotor e dirigente de diversos movimentos sociais e associações cívicas, Alípio de Freitas, a jornalista e socióloga Li An, e Otelo Saraiva de Carvalho, Capitão de Abril. A mesa será mediada por Mario Dujisin, jornalista Chileno que estava em Portugal durante o 25 de Abril.

Consciência política é a liberdade de um povo.

“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas”.
Bertolt Brecht