Criada em 2015, esta mostra é dedicada ao público mais velho e apresenta em 2016 quatro curtas-metragens que abordam o tema a terceira idade. Os filmes serão exibidos numa única sessão de 60 minutos.

Esta mostra dedicada à terceira idade estabelece-se como representativa de uma das vocações do festival, o compromisso social. Este ano, quatro curtas-metragens ilustram este tema.

Terça-feira, 10 de maio, 17h, Sala 3. Duração Total: 63 minutos

Ticketline_100

 

DEBAIXO DAS CEREJEIRAS

CerejeirasBrasil, 2014, 22 minutos, ficção

Realizador: LUIZ GUILHERME MOURA

Com: Marina Honda, Bryan Goto, Thaís Ienaga, Mateus Ribeiro e João Gomes

Trailer

Sinopse: Takashi é um adolescente japonês de dezasseis anos que vive com a sua mãe, Keiko, na cidade de São Paulo. Os dois são distantes e silenciosos, fechados com as suas peculiaridades e diferenças. Takashi tem uma fixação pelo próprio corpo e explora-o de diferentes maneiras na sua solitude; Keiko é dona de uma floricultura, possui uma personalidade fria e sistemática. Aos poucos, Takashi percebe que a sua mãe esconde um segredo e, na sua busca pela verdade, os laços entre os dois estreitam-se perigosamente.

Biografia do realizador: Estudioso e consumidor da cultura pop e conteúdo em todas as plataformas e formatos possíveis, possui formação em audiovisual. Trabalhou com cinema, TV e internet, tanto no planeamento como na criação de conteúdo. A curta-metragem Debaixo das Cerejeiras, da qual é realizador e co-roteirista, estreou no 26º Festival de Curtas de São Paulo e foi finalista do Prémio ABC 2015 no Brasil.


MELHOR IDADE É O CARALHO

Melhor Idade é o CaralhoBrasil, 2014, 8 minutos, documentário

Realizadores: RAWI SANTOS e KAREN POMPEO

Sinopse: Motivado por uma expressão hipócrita, este documentário entrevista Angela Divina, de 82 anos. É o próprio idoso que não percebe mais o seu papel social num mundo onde “tudo que você tem pra ensinar, tem na internet”.

Biografia dos realizadores: Rawi Santos e Karen Pompeo são graduados em Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos (Brasil). Em 2014, dirigiram e montaram o documentário Melhor Idade é o Caralho que passou por diversos festivais. No mesmo ano Rawi dirigiu, escreveu e coloriu Quinze, uma websérie de cinco episódios, na qual Karen foi diretora de arte. Também trabalharam juntos na curta Toca, Maestro, que em breve entrará no circuito dos festivais. Além disso, a dupla trabalha ainda nas áreas de roteiro, realização, direção de arte e fotografia em filmes publicitários e institucionais.


NAZARETH

NazarethBrasil, 2015, 13 minutos, documentário (legendas em inglês)

Realizador: MÁRCIO TRIGO

Sinopse: Aos 70 anos, Nazareth fica viúva e realiza o seu sonho de menina: dançar. Com a dança, dá uma reviravolta na vida, recupera a autoestima e, pela primeira vez, é feliz.

Biografia do realizador: Márcio Trigo é diretor de teatro, cinema e televisão, com um trabalho internacionalmente reconhecido. Em 2015, a obra Nazareth ganhou o Prémio de Melhor Curta Documentário no Festival Cine del Sur, na Colômbia, além de ser selecionado para festivais ao redor do mundo. Na TV Globo, onde trabalhou por 23 anos, realizou programas como Os Caras de Pau vencedor do Prémio Especial do Montreaux Comedy Awards, em 2011.


O SILÊNCIO NÃO ESTÁ MORTO, QUERIDA VÓ HELENA

O silêncio não está morto, querida vó Helena_500Brasil, 2015, 20 minutos, ficção

Realizador: WILLIAM COSTA LIMA

Com: Beatriz Barros e Iná de Carvalho

Sinopse: O amadurecimento da relação entre Samanta, uma jovem estudante de arquitetura prestes a formar-se, e sua avó Helena, uma vendedora de antiguidades em vias da reforma, são os temas centrais desta curta. Diante de tamanha abundância e acumulação de bens materiais, qual a importância das relações humanas?

Prémios: Melhor Atriz (Iná de Carvalho) e Melhor Trilha Sonora no Festival de Curtas do Ceará; Vencedor do Concurso Nacional de Roteiros – Filma Brasil-2012

Biografia do realizador: Ator formado pela Escola Livre de Teatro de Santo André, SP/Brasil, onde também cursou os núcleos de Dramaturgia, Realização e Pedagogia Teatral. Desde 2005 é dramaturgo e diretor do Pequeno Teatro de Torneado, onde foi responsável por diversos espetáculos. Também desenvolve trabalhos como arte-educador na área do teatro. Atualmente é criador e curador do Sítio Cultural Alsácia, em Ribeirão Pires, SP/Brasil.