Culturas digitais e consumos alternativos do Audiovisual: oportunidades e desafios para o Cinema em Português

14 Abril, terça-feira, 18h30 | Sala Montepio | Atividade gratuita

O objetivo desta mesa-redonda é debater as oportunidades e os desafios que a cultura digital apresenta ao cinema em português, nomeadamente no âmbito das redes de computação. Considerando não apenas os dispositivos tecnológicos, a produção da imagem e a sua divulgação, será dada uma atenção especial à emergência de novas dinâmicas de consumo e aos novos processos de circulação do audiovisual que emergem a partir da utilização da Internet, incluindo tópicos como a partilha através das redes peer-to-peer, a pirataria e as versões do video-on-demand.

Pretende-se discutir a transformação nos modos de compreender o cinema e o seu consumo a partir das implicações materiais, ontológicas, económicas e sociopolíticas que o digital estabelece na reorganização das formas de produção do audiovisual.

A cultura digital é o prelúdio do fim do audiovisual em suas diversas formas? Ela prenuncia a ruína das salas de exibição, dos festivais e anuncia a morte da obra de arte a nível estético? O digital favorece a reinvenção dos formatos, das experiências sensoriais, das formas de consumo e dos modelos de negócio no sector do audiovisual? A pirataria apresenta-se como uma prática social a ser combatida? Até que ponto ela pode ser entendida como uma oportunidade para a sobrevivência do cinema em português?

Com a participação de Rodrigo Saturnino, José Luís Garcia, Jorge Martins Rosa e Marta Sofia Pinho Alves


Rodrigo Saturnino

foto-rodrigo-festin

Jornalista, investigador colaborador do Centro de Estudos das Migrações e Relações Interculturais da Universidade Aberta (CEMRI-UAB), editor da revista (In)Visível, mestre em Comunicação e Cultura pela Universidade de Lisboa (FLUL), licenciado em Comunicação Social pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH). Como doutorando em Sociologia pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa (ICS-UL), realiza uma pesquisa sobre tecnologia, culturais digitais e identidades políticas. 


José Luís Garcia

foto-JLGarcia-festin

Doutorado em Sociologia pela Universidade de Lisboa. É Investigador Principal do Instituto de Ciências Sociais da mesma universidade. Tem estudos nas áreas da comunicação, media, jornalismo e implicações sociais e políticas da tecnologia. Publicou, em Portugal e no estrangeiro, diversos artigos científicos e livros nesses domínios, sendo os mais recentes Jacques Ellul and the Technological Society in the 21st Century (co-autoria com Helena M. Jerónimo e Carl Mitcham, Springer, 2012) e La contribution en ligne: pratiques participatives à l’ère du capitalisme informationnel (co-editor com Serge Proulx e Lorna Heaton, Presses de l’Université du Québec, 2014).


 

Jorge Martins Rosa

foto-jorge-martins-festin

Professor Auxiliar no Departamento de Ciências da Comunicação da FCSH-UNL, leccionando actualmente os seminários de mestrado «Modos da Ficção», «Cibercultura» e «Cultura Pop», que espelham os seus interesses de investigação. No seu doutoramento, na especialidade de Comunicação e Cultura, procurou estabelecer ligações entre a obra de Philip K. Dick e a retórica discursiva da cibercultura contemporânea. Foi, entre Fevereiro de 2012 e Agosto de 2012, o investigador principal do projecto «A Ficção e as Raízes da Cibercultura», onde alargou essa pesquisa a outras obras e autores publicados entre 1870 e 1970.


 

Marta Sofia Pinho Alves

foto-marta-festin

Doutora em Sociologia, especialização em Comunicação, Cultura e Estilos de Vida (2014), pelo Instituto de Ciências Sociais  da Universidade de Lisboa (ICS-UL), com a tese intitulada «Cinema 2.0: modalidades de produção cinematográfica do tempo do digital», mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias da Informação (2007), pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL), com a dissertação intitulada «A Cibercultura e o Cinema de Shinya Tsukamoto: um estudo a partir do díptico Tetsuo», e licenciada em Ciências da Comunicação (1998), pela Universidade da Beira Interior (UBI). É docente a tempo integral, com dedicação exclusiva, na categoria de Professora Adjunta, do Departamento de Ciências da Comunicação e da Linguagem da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, atividade que exerce desde o ano letivo de 2000/2001. Nesta instituição é responsável por várias unidades curriculares das área da Comunicação Cultural e da Imagem em Movimento. É ainda cocoordenadora do curso de licenciatura em Comunicação Social e vice-presidente do Conselho de Representantes da referida escola. É membro da Associação dos Investigadores de Imagem em Movimento (AIM), no âmbito da qual co-coordena o Grupo de Trabalho sobre Cultura Visual Digital.