Nesta edição, estarão em competição 10 longas-metragens. O festival abre a 4 de Maio com a estreia em Portugal de Cartas de Amor são Ridículas, da cineasta brasileira Alvarina Souza e Silva (filmes em ordem alfabética)

A FAMÍLIA DIONTI

A Familia DiontiSábado, 7 de maio, 19h, Sala Manoel de Oliveira

Brasil/Reino Unido, 2015, 97 min, ficção

Realizador: ALAN MINAS

Com: António Edson, Gero Camilo e Anna Luiza Marques.

Trailer | Ticketline_100
Sinopse: Original e poético, o filme narra a fantástica história de um pai e seus dois filhos, Kelton, de treze anos, e Serino, de quinze, que vivem num sítio no interior de Minas Gerais. A mãe já não mora com eles, pois derreteu de amor, “evaporou” e partiu. Enquanto sonha com a volta da mulher a cada chuva que cai, o pai cuida dos filhos com olhar atento. Misturando realidade com fantasia, A Família Dionti retrata de forma especial, emocionante e sem sentimentalismo o tema universal da descoberta do amor, sem deixar de lado as cores regionais do interior do Brasil contemporâneo.

Prémios: Melhor Longa-metragem pelo Júri Popular no 48º Festival de Brasília; Melhor longa-metragem na 3ª Mostra de Cinema de Gostoso; Melhor Roteiro no 10º Youngabout International Film Festival.

Biografia do realizador: Roteirista e realizador premiado, o seu documentário A Morte Inventada – Alienação Parental tornou-se uma referência sobre o tema no Brasil e exterior. Realizou premiadas curtas-metragens do programa Curta Criança do Ministério da Cultura do Brasil e TV Brasil. Atualmente trabalha na longa O Deserto de Luíz.


A HISTÓRIA DA ETERNIDADE

A História da Eternidade

Sexta-feira, 6 de maio, 19h, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2014, 120 min, ficção

Realizador: CAMILO CAVALCANTE

Com: Cláudio Jaborandy, Débora Ingrid, Irhandir Santos e Leonardo Fran.

Trailer |Ticketline_100

Sinopse: Num pequeno vilarejo no sertão, árida região do Nordeste brasileiro, três histórias de amor e desejo revolucionam a paisagem afetiva dos seus moradores. Personagens de um mundo romanesco, no qual as suas conceções de vida estão limitadas, de um lado pelos instintos humanos, do outro por um destino cego e fatalista. Filmado numa aldeia de quarenta habitantes, é embalado por música de Zibgniew Preisner (autor das músicas dos filmes de Krzysztof Kieślowski) e pelo último trabalho do mítico Dominguinhos. Do longo currículo do filme em festivais, destaque para a seleção principal de Roterdão.

Prémios: Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Ator, Melhores Atrizes e Prémio da Crítica no 6º Festival de Paulínia; Melhor Filme Brasileiro pelo Público na 38ª Mostra de Cinema de São Paulo; entre outros.

Biografia do realizador: Produtor, roteirista e realizador desde 1995. Realizou catorze curtas-metragens entre elas, Leviatã, A História da Eternidade, Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos e My Way, pelos quais já recebeu mais de 120 prémios. Dirigiu, em parceria com Cláudio Assis, o documentário Eu vou de volta. No teatro, dirigiu o monólogo O Cão sem plumas, do poema de João Cabral de Melo Neto. Atualmente trabalha no documentário Beco e na pré-produção de King Kong en Asunción, a sua segunda longa-metragem.


AMORES URBANOS

Amores Urbanos

Segunda-feira, 9 de maio, 21h30, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2015, 95 min, ficção

Realizadora: VERA EGITO

Com: Maria Laura Nogueira, Thiago Pethit e Renata Gaspar.

Trailer |Ticketline_100

Sinopse: Comédia dramática que conta a história de três amigos que vivem no mesmo prédio, em São Paulo. Júlia (Maria Laura Nogueira), Diego (Thiago Pethit) e Micaela (Renata Gaspar) são jovens anti-heróis, que superam desventuras amorosas e profissionais com humor e muita personalidade. O filme estreia no Brasil no início de maio de 2016.

Biografia da realizadora: Vera Egito estudou cinema na Escuela de Cine y TV de San Antonio de los Baños, em Cuba, no ano de 2003. No festival de Cannes de 2009, foi apresentada como “jovem talento promissor” do cinema brasileiro, com as curtas Elo e Espalhadas pelo Ar. Foi assistente de direção do filme O Cheiro do Ralo, de Heitor Dhalia, e contribuiu para o roteiro de À Deriva e Serra Pelada, o mesmo realizador. A longa Amores Urbanos é o seu mais recente trabalho como realizadora e roteirista.


 AUSÊNCIA

Ausencia

Domingo, 8 de maio, 21h30, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2015, 87 min, ficção (English subtitle)

Realizador: CHICO TEIXEIRA

Com: Matheus Fagundes, Irandhir Santos e Gilda Nomacce.

Trailer |Ticketline_100

Sinopse: A chegada à vida adulta de Serginho (Matheus Fagundes), com quinze anos, é marcada pela ausência do pai e as demandas que o obrigam a amadurecer à força, como a mãe alcoólica, o irmão pequeno que ajuda a cuidar, o trabalho na feira sob as ordens de um tio rude e autoritário. São as amizades que dão algum alívio à sua vida – a ambígua com o professor Ney, a “colorida” com Silvinha, a fraternal com Mudinho. Mas há um momento que isso claramente não é o suficiente, pois Serginho quer um futuro… Trajetória de luxo no circuito dos festivais, com estreia no Festival de Berlim, passagens pelo Festival de Toulouse, do Rio e vitória do prémio máximo no Festival de Gramado.

Prémios: Melhor Filme, Melhor Realização, Melhor Roteiro e Melhor Trilha Musical no 48º Festival de Cinema de Gramado 2015; Prémio Especial do Júri e Melhor Ator no Festival do Rio 2014; Prémio da Crítica (Abraccine), Melhor Realização, Ator e Roteiro no 9º Fest Aruanda 2014; The Grand Prix Coup de Heart no 27º Rencontres de Toulouse 2015.

Biografia do realizador: Nascido no Rio de Janeiro em 1958, o realizador ganhou destaque internacional com a sua estreia no cinema com a longa-metragem A Casa de Alice (2007). Após a sua première na secção Panorama do Berlinale Film Festival, o filme foi prestigiado em 63 festivais internacionais e ganhou 33 prémios.


 CARTAS DE AMOR SÃO RIDÍCULAS

Cartas de Amor são Rídiculas_500Quarta-feira, 4 de maio, 21h, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2014, 100 min, ficção

Realização: ALVARINA SOUZA E SILVA

Com: Roberto Bonfim, Carlina Oliveira e Sandra Barsott.

Trailer | Ticketline_100

Sinopse: O título deste filme foi inspirado num verso do grande poeta português Fernando Pessoa, cujos poemas também costuram a história desta obra que retrata um antigo drama familiar. Lázaro (Roberto Bonfim) é o pai de cinco filhas – Açucena, Dália, Gardênia, Violeta e Hortência. Ele refere-se a elas como o seu “jardim de flores”, um jardim onde há perfume, mas também espinhos. Sendo o matrimónio, na época retratada, o único destino digno de uma mulher, casá-las torna-se uma batalha repleta de buscas enlouquecidas, equivocadas e cómicas.

Prémios: Melhor filme no 1º Festicini – Festival Internacional de Cinema Independente de Sumaré (2015).

Biografia do realizador: Trabalha em cinema desde 1978 e participou em mais de cem projetos em diferentes funções. Como realizadora está no seu décimo terceiro trabalho, entre curtas e longas-metragens de ficção e documentários. Participou nos festivais mais importantes do Brasil – como Gramado, Festival do Rio, Mostra de Curtas de São Paulo – e no exterior, onde marcou presença nos Festivais de Cuba, Canadá, USA, Itália, Portugal, Argentina, etc.


 MARESIA

Maresia

Domingo, 8 de maio, 17h, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2015, 77 min, ficção (English subtitle)

Realizador: Marcos Guttman

Com: Júlio Andrade, Mariana Nunes, Pietro Bogianchini, Vera Holtz.

TrailerTicketline_100

Sinopse: Um perito de arte obcecado por um pintor mítico desaparecido há cinquenta anos recebe a visita de um velho misterioso que diz ter conhecido o artista na juventude e apresenta um quadro para autenticação. Este encontro baralha passado e presente, falso e verdadeiro. Estreia mundial no Festival de Montreal e seleção no Festival de Havana.

Biografia do Realizador: Realizou quatro premiadas curtas-metragens – Km 0, Vicente, Lapso e Numa Beira de Estrada – que foram exibidas nos festivais de Locarno, Rotterdam, Clermont-Ferrand, entre outros, e vendidas para televisões brasileiras e europeias. Atualmente está a desenvolver Viver de Vento, longa-metragem de ficção baseada na vida do velejador Lars Grael. Maresia é a sua primeira longa-metragem.


FOME

FomeDomingo, 8 de maio, 19h, Sala Manoel de Oliveira 

Brasil, 2015, 90 min, ficção (English subtitle) [também em FESTin Arte]

Realizador: CRISTIANO BURLAN

Com: Jean-Claude Bernardet, Ana Carolina Marinho e Henrique Zanoni.

Trailer | Ticketline_100

Sinopse: Na imensidão da metrópole paulista, um idoso (Jean-Claude Bernardet) deambula pela cidade, onde é objeto de interesse por uma jovem que faz um documentário. Carrega consigo apenas um carrinho, alguns trapos e a velhice, metendo-se em dramas repletos de ironia. Este falso documentário faz parte da “Tetralogia a Preto-e-Branco” do realizador e, traz como protagonista um dos grandes nomes da história do cinema brasileiro – o crítico, historiador e cineasta Jean-Claude Bernardet. Fez parte da seleção oficial do Festival de Brasília.

Prémios: Melhor Som e Prémio Especial do Júri para Jean-Claude Bernardet, ambos no Festival de Brasília, 2015.

Biografia do Realizador: Realizador de cinema e teatro, conta com mais de quinze filmes na sua carreira, entre ficções e documentários. Realizou quatro longas-metragens sobre a cidade de São Paulo, Sinfonia De Um Homem Só, Amador, Hamlet e Fome. Em 2013, o documentário Mataram meu irmão venceu o Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade. Atualmente está em pré-produção do documentário Elegia de um Crime, que encerra a sua “Trilogia do Luto”.


MUNDO CÃO

Mundo CãoSexta-feira, 6 de maio, 21h30, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2015, 122 min, ficção

Realizador: MARCOS JORGE

Com: Babu Santana, Lázaro Ramos, Adriana Esteves e Milhem Cortaz.

Trailer | Ticketline_100

Sinopse: Mundo Cão é um thriller emocionante que caminha sobre os limites entre a justiça e o desejo de vingança. Tudo começa por um incidente fortuito a envolver um pacato trabalhador do Departamento de Zootecnica, Santana (Babu Santana), com um bandido, Nenê (Lázaro Ramos), após este ter perdido o seu rottweiller. De uma vida ao lado da família e o singelo hobby de tocar bateria, Santana tem a sua vida virada do avesso numa história cheia de twists e tensão no ponto máximo, completada por um vilão aterrador. Estreia na competição principal do Festival do Rio.

Biografia do Realizador: Formado em jornalismo no Brasil e em cinema na Itália, este premiado realizador também se dedicou às artes plásticas até retornar ao seu país natal em 2001. No Brasil, realizou diversas curtas-metragens e o documentário O Ateliê de Luiza, além de diversos filmes publicitários. É autor do livro Brasil Rupestre e traz ainda no seu currículo os filmes Estômago (2007), Corpos Celeste (2011) e O Duelo (2015). Os seus filmes receberam mais de cem prémios em diversos festivais.


POR TRÁS DO CÉU

Por Trás do CéuSábado, 7 de maio, 21h30, Sala Manoel de Oliveira

Brasil, 2015, 107 min, ficção

Realização: CAIO SOH

Com: Nathalia Dill, Paula Burlamaqui, Renato Góes e Leonardo Rosa.

Trailer | Ticketline_100

Sinopse: Por Trás do Céu passa-se num lugar esquecido por Deus, assolado pela pobreza e pela falta de condições mínimas básicas. Nesse local, a par do belíssimo trabalho de fotografia, a vida emerge diariamente a partir dos sonhos de Aparecida (Nathalia Dill), mulher forte, simples e com uma grande fascinação pelo saber. O seu esposo, Edivaldo (Renato Góes), é um homem amargurado por uma tragédia do passado de ambos. Enquanto ela sonha com um futuro menos solitário, novas personagens surgem na paisagem.

Biografia do realizador: Poeta, cineasta, compositor e dramaturgo premiado. O filme Teus Olhos Meus, do qual foi realizador e roteirista, venceu o prémio do Júri Popular da 35ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e cinco prémios no Los Angeles Brazilian Film Festival 2011, incluindo Melhor Filme e Roteiro. Em 2014, lançou a sua segunda longa-metragem Minutos Atrás. Na televisão, destacam-se o trabalho de co-realização na minissérie Maysa e realização e roteiro da série Como Nossos Pais. Baseado numa premiada obra teatral de sua autoria, o filme Por Trás do Céu é a sua terceira longa-metragem.


ZENAIDA

ZenaidaQuinta-feira, 5 de maio, 19h, Sala Manoel de Oliveira

Cabo Verde, 2015, 66 min, ficção

Realizadores: ALEXIS TSAFAS e YANNIS FOTOU

Com: Maria Sfefanidou Fonseca Soares

Trailer | Ticketline_100

Sinopse: Zenaida só tem dezoito anos mas já é mais uma das vítimas do tráfico de mulheres. Está presa numa cidade europeia, sem passaporte e forçada pelos “donos” a trabalhar como prostituta. Uma vida reduzida a uma patética rotina em contraste com noites onde reinam alucinações induzidas por drogas que a transportam numa fuga ao presente, de volta à pobreza e aos anteriores pesadelos da vida.

Prémios: Melhor Longa-Metragem de Ficção do Festival Internacional de Cinema da Praia.

Biografia dos realizadores: Alexis Tsafas – Nascido na Grécia em 1956, estudou na Escola de Teatro e Cinema de Atenas. Realizou quatro curtas-metragens, duas longas e um documentário. A longa A Menina dos Olhos Grandes (2011) e o documentário Mindelo – Traz D’ Horizonte (2008) foram premiados em diversos festivais internacionais. Yannis Fotou – Nascido na Grécia em 1980, estudou na Escola Stavrakos para cinema e na Escola de Cinema de Munique. Trabalhou como fotógrafo em vários filmes de ficção. Zenaida é o seu primeiro trabalho como realizador.