22885974_732147136982902_1747302845700298799_n

Foto: Claudio Savaget

A capital timorense Díli e a segunda cidade do país Baucau, acolhem este mês, onze filmes entre longas e curtas-metragens do FESTin- Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, que este ano completou a sua 8ª edição. Esta é a segunda vez que o festival aterrizar em terras timorenses.

O FESTin é o único festival de cinema inteiramente dedicado à lusofonia e com produções oriundas dos nove Países da Comunidade de Língua Portuguesa que são os seguintes: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné-Equatorial, Moçambique, Portugal São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Levado ao país pela Fundação Oriente de Díli, Instituto Camões e a Embaixada de Portugal, o FESTin, que decorre de 11 a 19 de Novembro, inclui uma oficina de produção de eventos totalmente gratuita.

O festival arranca no dia 11 em Baucau, no Centro de Dia São José com o filme brasileiro “O outro lado do paraíso”, do realizador André Ristum e os infantis “O projeto do meu pai” ( curta metragem) e “As aventuras do pequeno Colombo”, longa infantil realizado por Claudia Matto.

No dia 16 , “O outro lado do Paraíso” abre também a mostra em Díli, na Fundação Oriente, e nos dias posteriores serão exibidos “Uma vida a espera”, do realizador português Sérgio Graciano, “ Vendo ou alugo”, da realizadora  brasileira Betse de Paula,  o documentário  moçambicano/Brasil “Mulheres Africanas – a rede invisível”, de Carlos Nascimbeni, o timorense/ Português “Avô Crocodilo”, de Francisco Rosas , o angolano Langidila José Rodrigues e Nguxi dos Santos e “A família Dionti”  do realizador Alan Minasque encerra o ciclo.

As crianças terão um sábado bem animado no dia 18, com a exibição dos curtas “Hora do lanche”, “Pequenos animais sem dono” e o “Projeto do meu pai”,  além do longa metragem “Aventuras do pequeno Colombo”.

Aceda toda a programação por aqui ou visite o site da Fundação Oriente.

Partilhar é cuidar!