Pessoa inspira filme de abertura do FESTin

ACartas de amor são rídiculas 7ª edição do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin) vai decorrer entre 4 e 11 de maio no seu espaço tradicional, o cinema São Jorge, em Lisboa. Em 2016, ao contrário dos outros anos, não haverá um país homenageado mas uma homenagem a todos os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Para além da exibição de obras de oito países (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Timor-Leste) e uma sessão de leituras com contos tradicionais que incluem a Guiné Equatorial, está programada uma visita de cunho didático para crianças à sede da instituição.

Ao todo, serão exibidos 74 filmes, entre longas, curtas e documentários. A competição de longas-metragens de ficção traz onze filmes, a de documentários seis e a de curtas vinte. Para além destas, seguem outras secções tradicionais, como a Mostra de Cinema Brasileiro, a Mostra de Inclusão Social, o FESTin +, a Festinha e, para reforçar o aspeto experimental do festival, a nova rubrica FESTin Arte.

Se o fator principal que liga estes países é a língua, o filme de abertura, Cartas de Amor São Ridículas, conta uma história de cinco noivas à espera de casamento cujos encontros e desencontros são marcados pela poesia de Fernando Pessoa – que inspira o título com um dos seus mais famosos poemas.

A conexão Brasil-Portugal continua com histórias e coproduções além-fronteiras. É o caso de Beatriz, com participação de Beatriz Batarda, onde Lisboa brilha na fotografia que enquadra o drama de um escritor e sua apaixonada mulher em busca de inspiração na Europa. A situação tem ligeiras similaridades com Histórias de Alice, que traz um elenco de alto nível, com nomes como Ivo Canelas e Vítor Norte. Já O Touro vai buscar a singularíssima mitologia de uma ilha brasileira baseada na figura do rei português D. Sebastião – num documentário selecionado para Roterdão e que traz Joana de Verona como protagonista.

Na secção competitiva destaca-se a nova geração de uma cada vez mais exuberante produção brasileira, trazendo obras que passaram por festivais como Berlim e Roterdão (casos de Ausência e A História da Eternidade) e outras que brilharam nos maiores festivais do Brasil, como os do Rio, de Brasília e de Gramado. É o caso de obras como Mundo Cão, A Família Dionti e Fome. Clarisse, ou Alguma Coisa sobre Nós Dois, por sua vez, inaugura a rubrica FESTin Arte. O suspense com toques de terror de A Floresta que se Move e as aventuras com tons policiais de Jonas, que encerra o festival, são destaques na Mostra Brasileira.

Na competição de documentários, Do Outro Lado do Atlântico retrata o encontro de jovens de países da CPLP num intercâmbio universitário numa pequena cidade do Brasil. A secção traz ainda o tema da loucura sob duas perspetivas diferentes (O Olhar de Nise e A Loucura entre Nós), e o da inclusão social em Central, que revela as condições de uma penitenciária brasileira.

Já a Mostra de Inclusão Social, uma das mais antigas do FESTin, apresenta este ano a longa-metragem cearense A Lenda do Gato Preto, inédita no Brasil e na Europa, que recentemente recebeu o Troféu Ouro de Direitos Humanos pelo World Human Rights Awards (WHRA), um dos eventos mais importantes do mundo em difusão e promoção dos direitos humanos.

Tal como nos anos anteriores, vários dos projetos apresentados serão selecionados para extensões que, em 2015, abrangeram Guiné-Bissau, Timor-Leste, Angola e parcerias com o Festival de Gramado, no Brasil, com o festival literário de Óbidos e com a Lusophone Film Festival – que levou obras a países como Quénia, Etiópia, Austrália e Tailândia.

O FESTin é organizado pela ASCULP- Associação Cultura e Cidadania da Língua Portuguesa, em coprodução com o Cinema São Jorge e parceria estratégica com a EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.E.M. e conta com o apoio financeiro da CML – Câmara Municipal de Lisboa (CML).

Os bilhetes para o festival estarão à venda na Ticketline e na bilheteira do Cinema São Jorge a partir de quarta-feira, dia 13 de abril, e têm um custo de 3,00 € (bilhete normal); 2,50 € (até 25 anos e maiores de 65 anos:); 1,50 € (estudantes e grupos de mais de 10 pessoas/por pessoa); 1,50 € (Mostra CPLP de Documentários/por sessão); Sessões Festinha: 2€ (adultos) e 1€ (crianças até 12 anos).

Ticketline:

Reservas/Informações: Ligue 1820 (24 horas) | A partir do Estrangeiro ligue +351 21 794 14 00

Locais De Venda: www.ticketline.sapo.pt, Fnac, Worten, El Corte Inglés , C. C. Dolce Vita, Casino Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Ag. Abreu, A.B.E.P., MMM Ticket e C. c. Mundicenter,  Fórum Aveiro,  U-Ticketline, C.C.B, Time Out Mercado da Ribeira, Shopping Cidade do Porto, Lojas NOTE, SuperCor – Supermercados e ASK ME Lisboa.

Partilhar é cuidar!